15 janeiro 2011

Longos dias

 

MaosDadas

 

Longos dias estes em que despertei

Com uma névoa em meu olhar

Era uma cortina, que desejei...

Nunca... ter de observar...

 

Foi, numa noite errante

Que se começou a formar...

Perpetuando aquele instante

Que vivemos junto ao mar

 

Tão belas eram as sombras...

De nossas mãos entrelaçadas

Como duas cobras, esfomeadas!

 

Tão doces e loucos momentos,

Que vivemos... E as obras!

Construídas de sentimentos!

 

Autoria:

01/06/2010

 

J. Antero Oliveira