29 janeiro 2011

Todo o meu Amor

gaivotas

 

Ó noite, que vens negra e fria

Ó vento, que varres sem piedade

Ó noite, porque me tiraste o dia?

Ó vento, porque me deixaste a saudade?

 

Ó tempo que passa a grande velocidade

Ó memória que guardas a fantasia

Ó tempo, roubaste-me a mocidade!

Ó memória devolve-me a alegria!

 

A alegria de ser tudo, sendo nada

A alegria de ser teu, ó minha amada!

Ser teu, sendo eu, em cada dia...

 

Nas asas dos sonhos, na melodia

Entregando-te simplesmente, sem dor

Em versos, em actos, todo o meu Amor!

 

Autoria:

J. Antero Oliveira

28 janeiro 2011

Levando esta alma, a… Com a tua voar!

 

3104599 ROSE

 

Perco-me entre longas palavras

Que florescem da minha alma

Gerando um colorido sem regras

Neste caminho que me acalma

 

Encontro-me nesse doce perfume

Que emana ardente do coração

Num sonho embalado pela canção

Que dá voz ao amor sem queixume

 

Entrego-me, ao teu coração, sem reservas

Pois como cada raio de sol, me dás o brilho

E como cada noite, de lua cheia, dás o luar

 

Assim em cada dia que me observas

Te ofereço, sorrindo, as flores do meu trilho

Levando esta alma, a… Com a tua voar!

 

Autoria:

J. Antero Oliveira

15 janeiro 2011

Longos dias

 

MaosDadas

 

Longos dias estes em que despertei

Com uma névoa em meu olhar

Era uma cortina, que desejei...

Nunca... ter de observar...

 

Foi, numa noite errante

Que se começou a formar...

Perpetuando aquele instante

Que vivemos junto ao mar

 

Tão belas eram as sombras...

De nossas mãos entrelaçadas

Como duas cobras, esfomeadas!

 

Tão doces e loucos momentos,

Que vivemos... E as obras!

Construídas de sentimentos!

 

Autoria:

01/06/2010

 

J. Antero Oliveira

13 janeiro 2011

Fazendo renascer de novo esperanças

 

Imagem87

 

Onde chegam os braços do mar?

Onde pousam seus dedos, ao anoitecer?

Seu calor se perde sem queixume ao luar

Seus raios esmorecem, sem morrer

Pois noutro dia voltam a nascer

Pois em teus braços, querem se entregar

Aí onde os lírios vão florescer

Aí onde teus olhos vão descansar

Nesse doce leito que é o teu mar

Nesse horizonte onde findam os dias

Onde desaguam as ondas do teu olhar

E se abraçam as noites a longos dias

Onde naufragam fortes lembranças

Fazendo renascer, de novo esperanças

 

Autoria:

J. Antero Oliveira

Unindo nossos corações

 

2v94x7a

No suave toque dos teus dedos

Perfumados por simples flores

Se dissipam os meus medos

Colorindo-me de mil cores

 

Na frescura dos teus beijos

Temperados por mil sabores

Se revelam os meus desejos

Mais íntimos, sem pudores

 

Na verde, natureza dos teus olhos

Decorada por múltiplas emoções

Floresce a ternura do teu coração

 

Ora escorrendo como primaveris orvalhos

Ora brilhando como o sol de Verão

E cada vez mais, unindo nossos corações

 

Autoria:

 

J. Antero Oliveira

12 janeiro 2011

Sem ti, é nua a minha vida

 

Parcae

 

Quantas vezes aqui sozinho

Por não te ver, senti um tremor

Um vazio, uma falta de carinho,

Uma luz que se extinguia na dor

 

Quantas vezes procurei o caminho

E sem querer vi, a falta de cor

A chuva caindo de mansinho

Mas parecendo dilúvio, um terror

 

Quantas vezes ao olhar o céu

Onde a lua seguia sozinha

Percebi que aquele denso véu

 

É falta de cor no jardim da vida

É ausência, é fé perdida...

E perceber que sem ti, é nua a vida minha

 

Autoria:

J. Antero Oliveira

06 janeiro 2011

Fonte dos meus sonhos

conceição

 

Fechei os olhos e senti

Meus sonhos florir de ti

Qual terra árida, sem vida?

Por ti floresce a semente

Que outrora julgava perdida

Ó fonte dos meus sonhos

Que me encantas, docemente

Tempos tristonhos, abandonei

Quando em teus braços me entreguei.

 Autoria:
J. Antero Oliveira

01 janeiro 2011

Quando ainda era criança

 

scrapeenet_20101229165516Wx1fXs

 

Quando ainda era criança

Embora andasse descalço na rua

Vivia brincando com esperança

E sonhando  caminhava Na Lua

 

Quando ainda era criança

Queria ser piloto de fórmula um

Mas os ventos de bonança

Não sopram para qualquer um

 

Quando ainda era criança

Sonhava ser escritor...

Mas onde ir buscar confiança?

Para conquistar tal valor!

 

Quando ainda era criança

Aprendi que o querer

Aliado à força do Amor

Gera uma aliança

Que faz viver o sonhador!

 

Autoria:

J. Antero Oliveira