25 setembro 2010

Ventos de Outono


outonovermelho



 


Nestes dias minguantes
Em que prevalecem as noites
Procuro as estrelas distantes
Mas só há nuvens nas noites
São os ventos de Outono
Que sopram sem cessar
São sonhos que pouco a pouco
Contigo quero realizar
São gotas de chuva transparente
Que refrescam nosso ambiente
São lágrimas de despedida
Dum Verão que está de partida
São certezas e fantasias
Pequenos textos, poesias
São retalhos de uma vida
Que juntos dão cor e textura
Às páginas de amor desta vida
Passada, presente e futura...

 


Autoria:
 
J. Antero Oliveira

20 setembro 2010

Sempre a esperança irá florir



Meu olhar está triste
Por não poder te observar
Desde o dia que partiste
Se perdeu... a chorar...
Num mar que não viste
De lágrimas por te amar
Pois tua presença persiste
Dentro de mim a latejar
É triste não te ver
Mais triste é: não te sentir
Porém saber que existes
Me alegra, me faz sorrir
Pois onde existe amor
Sempre a esperança irá florir!

Autoria:

J. Antero Oliveira

17 setembro 2010

Um dia

 

Imagem1

 

Anoitece aqui

Nasce o sol aí

Caminho ao luar...

Ao sol vais passear

Após mais uma jornada

Vejo-te chegar na alvorada

Me esperas ao entardecer

Chego, mas não me podes ter

Eu nasço ao ver-te morrer

E morro para que possas nascer

Sou noite escura

És dia radiante

Somos dois, somos um só

Duas metades de tempo

Duas partes, de um tempo só

Somos, aquilo que fomos

Somos, aquilo que quisermos

Um dia!

 

Autoria:

J. Antero Oliveira

12 setembro 2010

Nestas folhas brancas

 

 i2n4es

 

Nestas folhas brancas

Sobre linhas vazias

Deposito palavras, tantas

Sentimentos, melodias

 

São páginas de uma vida

São histórias de mil dias

Estados de alma, contida

Entre tristezas e alegrias

 

Aqui guardo tudo de mim

Com a magia de um jardim

E o perfume de uma flor

 

Num sorriso, num olhar

Num beijo, no falar…

Para a tua vida, o meu amor!

Autoria:

 

J. Antero Oliveira

04 setembro 2010

Aquele olhar

 
Cat that walks itself
 
 
Meus olhos, fechados, navegam
Com a brisa, sobre o mar
Quando se abrem, te entregam
O meu mais doce olhar
 
Aquele olhar...
Que te revelou, um dia
Aquilo que eu não sabia
Como te falar
 
E que sem querer encontrou
No brilho do teu olhar
O fascínio que me encantou
E na vida, me fez acreditar
 
A cada novo dia que passa
Algo maior guardo de ti
É presença, é lembrança
É a certeza de ter-te aqui
 
Num recanto, no meu todo
Na alma e no coração
É felicidade este pranto
Destes olhos com emoção
 
Ao longo das margens
Deste mar de emoções
Florescem as passagens
Que unem nossos corações
 
 
 
Autoria:
 
J. Antero Oliveira